LEITURAS - "A Gaivota" de Sándor Márai


Mais um livro lido, o terceiro de 2017.
É também o terceiro que leio deste autor húngaro, depois de "As velas ardem até ao fim" e "A mulher certa".
Na linha dos anteriores, uma prosa densa e intensa, muitas vezes como se fosse o protagonista a pensar alto, em monólogo.
Destapa, como nos anteriores, a condição humana, sobretudo quando, lá fora, a 2ª guerra mundial soltava as suas bombas no destino do tempo e do espaço.
Uma morte, uma mulher, o esconjuro da ausência, o calor da presença e o peso tremendo das decisões.
Gostei.
©AL.2017

Comentários